Palestra sobre Empregabilidade da Pessoa com Deficiência na Indústria e no Comércio

Evento será realizado em 18 de agosto, às 14h, na Câmara de Vereadores de Jequié (BA).

Publicada em 17 de agosto de 2010 - 14:30

Homem com headfone

A promoção da igualdade de pessoas com deficiência no mercado de trabalho será discutida nesta quarta-feira (18) às 14h na Câmara de Vereadores de JequiéSite externo. (BA), em palestra da Socióloga e especialista em Gestão Social, Melissa Bahia, tendo como tema “Empregabilidade da Pessoa com Deficiência na Indústria e no Comércio”. A palestra está sendo promovida pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência-COMDEF e tem o apoio da Associação Comercial e Industrial-ACIJ e Câmara de Dirigentes Lojistas-CDL.

Melissa Bahia, que tem deficiência visual – ficou cega aos 15 anos, acometida por um glaucoma – é  supervisora de políticas de empregabilidade para pessoas com deficiência da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

Ela ressalta em suas palestras que depois de anos de exclusão, as pessoas com deficiência (PcDs) começam a ganhar mais espaço no mercado de trabalho. De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e EmpregoSite externo., o número de PcDs contratadas no Brasil subiu de 22.314 em 2007, para 25.844 em 2008. Um crescimento superior a 15%. A causa dessa evolução, no entanto, não é das mais nobres. Não foi o nível de responsabilidade social dos empresários que aumentou e sim o medo deles em pagar altas multas – que podem chegar a R$ 1.101,75 por pessoa não contratada. É que desde 1999, o decreto 3.298 passou a regulamentar a Lei de Cotas 8.213/91, que obriga as empresas com mais de 100 funcionários a incluírem PcDs no seu quadro de efetivos.

Fonte: http://www.jequiereporter.com.brSite externo.

Comentários

Enviado em 20/08/10 às 09h56

leonardo lobo (leonardolobos1@hotmail.com):

sou de cons lafaiete MG, sou portado de uma deficiência auditiva moderada estou no processo seletivo de uma grande empresa da região faz extamente 1mÊS e não obtive nenhum resultado acho uma falta de respeito por parte do rh da empresa,mas o que eu gostaria era que houvesse uma fiscalização nas grande empresas da região como csn,gerdau,vale,vsb e outras;pesquisando observei que nenhuma tem 0,3% da lei de cota como fazer para mudar isso pois poderia beneficiar muitos deficiente da região.

Contribua com seu comentário!

©2014 Espiral Interativa. O conteúdo produzido por colunistas e blogueiros, bem como os comentários de leitores publicados no Vida Mais Livre, não refletem a opinião da redação do portal.