CPB inaugura Centro de Treinamento de Halterofilismo Paraolímpico em Uberlândia

Em parceria com a UFU e a Futel, CPB investe em centro de referência para garantir o desenvolvimento da modalidade no país.

Publicada em 28 de outubro de 2010 - 11:30

Logotipo do Centro de Treinamento de Halterofilismo
O Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB)Site externo., em parceria com a Universidade Federal de Uberlândia (UFU)Site externo. e com a Fundação Uberlandense de Turismo, Esporte e Lazer (Futel)Site externo., inaugurou em 27 de outubro, em UberlândiaSite externo., o primeiro Centro de Treinamento de Halterofilismo Paraolímpico do país.
 
O Centro de Treinamento utilizará toda a infraestrutura da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia e do Centro Nacional de Excelência Esportiva – CENESP/UFU e CPB/CEFEP. Além disso, os profissionais que desenvolverão o projeto serão das instituições locais, coordenadas pelo CPB.
 
O Centro de Treinamento contará com uma equipe multidisciplinar composta por orientador técnico; fisiologista; especialistas em treinamento esportivo; fisioterapeuta; nutricionista esportivo; biomecânico do movimento; e monitores de Halterofilismo.
 
“O projeto dos Centros de Treinamento de Halterofilismo segue a estratégia do CPB de implantar centros de treinamento ou de referência por modalidade específica aproveitando estruturas já existentes”, explica o presidente do CPB, Andrew Parsons.
 
“Este é o modelo que iremos desenvolver até 2016. Desta forma, otimizaremos recursos e daremos o atendimento especializado que cada modalidade requeira”, justifica Parsons.
 
Apesar de participar das Paraolimpíadas desde Atlanta 1996, com Marcelo Motta, o Brasil nunca conquistou uma medalha no halterofilismo paraolímpico. O melhor resultado do país na modalidade foi o 4º lugar de Alexsander Whitaker nas Paraolimpíadas de Atenas 2004 – resultado repetido no Mundial de Bussan, na Coreia do Sul, em 2006 por Whitaker e no Mundial da Malásia, este ano, por Josilene Ferreira.
 
Entre os objetivos do Centro de Treinamento estão: disponibilizar uma estrutura adequada para apoiar e orientar o treinamento de halterofilismo paraolímpico de alto rendimento; possibilitar a formação e treinamento de técnicos para a modalidade de halterofilismo paraolímpico de alto rendimento; oportunizar condições de treinamento para Equipes de Halterofilismo Paraolímpico de qualquer lugar do país; e desenvolver pesquisas científicas na área do Halterofilismo Paraolímpico em parceria com a Academia Paraolímpica Brasileira.
 
“Este é o primeiro núcleo. Vamos, até o final do ano que vem, instalar um Centro de Treinamento em cada uma das cinco regiões do país”, explica o diretor técnico do CPB, Edílson Alves Tubiba.
 
A UFU
A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) foi escolhida para abrigar o primeiro Centro de Treinamento de Halterofilismo por ser uma instituição que atende às pessoas com deficiência há quase trinta anos.
 
Atualmente, a universidade possui um atendimento sistemático de aproximadamente 300 pessoas em diferentes faixas etárias e com os mais variados tipos de deficiência, praticando diversos tipos de atividades físicas, recreativas e modalidades esportivas. Aliado a isso, a UFU possui no seu currículo do Curso de Graduação em Educação Física quatro disciplinas do curso que tratam das questões relacionadas com as pessoas com deficiência.
 
Para completar, Uberlândia possui hoje a segunda melhor equipe de Halterofilismo Paraolímpico do Brasil, composta por 17 atletas, estando dois deles (Rodrigo Rosa e Bruno Carra) entre os três melhores atletas do país e a atleta Edilândia entre as seis melhores do mundo em sua categoria em 2010.
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Contribua com seu comentário!

©2014 Espiral Interativa. O conteúdo produzido por colunistas e blogueiros, bem como os comentários de leitores publicados no Vida Mais Livre, não refletem a opinião da redação do portal.