Centro de Formação de Cães-Guia de SC cadastra famílias socializadoras

Close de uma mão segurando um cão-guia pela alça
Compartilhe:

O Centro de Formação de Cães-Guia de Santa Catarina, com sede em Camboriú (SC), cadastra famílias socializadoras para cuidar dos animais durante o treinamento especializado. Os animais são preparados para acompanhar pessoas com deficiência visual. A primeira turma de animais aptos se forma neste mês. A unidade foi inaugurada em 2014 e é a única na América Latina que oferece treinamentos de graça.

O treinamento, até os animais ficarem prontos, é um processo longo. O primeiro passo para a carreira do animal é viver com uma família socializadora. Há muitas querendo adotar, mas poucas têm o perfil necessário para educar estes cachorros.

Segundo o professor Mário Pereira Soares, a família que se cadastra passa por uma série de avaliações. "Desde o ponto de vista psicológico desta família, do ambiente onde este cachorro vai ser alojado e das condições que essa família tem pra estar participando do nosso programa. Esta família vai apresentar a sociedade pra este filhote nas mais variadas formas e isso é de fundamental importância para o treinamento futuro desse filhote", conclui.

Depois de um ano e meio com a família socializadora, o animal volta para o centro e passa por outros tipos de treinamentos. É com cerca de dois anos de idade que ele se une a um deficiente visual.

Os interessados em fazer o curso, ser uma família socializadora ou receber um cão-guia precisam preencher um formulário no no site do Instituto Federal Catarinense.

Sem custos

A família socializadora não tem nenhum custo, todo o projeto é financiado pelo Governo Federal. O instituto dá alimentação, medicamentos, acompanhamento técnico e veterinário para o filhote.

O cadastro nacional tem cerca de 470 pessoas com deficiência esperando um cão-guia, mas sabe-se que há muito mais gente precisando de ajuda para viver melhor.

“O cão é um instrumento para que depois possa ser atingido o objetivo final, que esse cão dê a essa pessoa mais dignidade, mais mobilidade”, explica uma das instrutoras do curso.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui mais de 500 mil pessoas com deficiência visual. O Centro em Santa Catarina tem servido de modelo para a construção de novas unidades em outras regiões do país.

Fonte: G1