Menino com autismo combate seus medos lendo pra animais de abrigo

A experiência de voluntariado do menino o ajuda a ter um senso de propósito e melhorou muito suas capacidades linguísticas

À esquerda da foto, Jacob lê para um cachorro que está dentro de uma gaiola.
Compartilhe:

Crianças com autismo costumam ter dificuldades de socialização e não se adaptam facilmente a ambientes com muito barulho ou estímulos visuais. Porém, o convívio com animais pode ser bastante benéfico para os pequenos que convivem com o transtorno – é o que diz um estudo da Universidade de Missouri citado em matéria da Veja. Mais do que apenas pesquisas, a experiência também mostra que essa fórmula dá certo, como no caso do menino autista Jacob Tumalan, de seis anos.

Toda a quinta-feira, Jacob visita o abrigo de animais Carson, em Gardena, nos Estados Unidos, com um propósito sério: o pequeno aproveita o tempo depois da escola para ler para os animais que vivem no abrigo. O ritual é repetido há seis meses e começou com um empurrãozinho da tia de Jacob, Lisa Dekowski-Ferranti, que trabalha com o resgate de animais.

A experiência de voluntariado do menino o ajuda a ter um senso de propósito e melhorou muito suas capacidades linguísticas. Os animais também se beneficiam da iniciativa, que os ajuda a se socializar enquanto se preparam para encontrar um novo lar. A ação faz parte do projeto Rescue Readers, em que crianças são voluntárias para ler para os animais do abrigo.

Um vídeo sobre o caso está disponível na matéria original, no Hypeness.

Fonte: Hypeness