Pornhub lança audiodescrição em vídeos pornô para cegos

O site para compartilhamento de vídeos adultos agora conta com uma categoria de vídeos audiodescritos, com atores descrevendo as cenas

Rapaz está deitado de costas na grama, com as mãos atrás da cabeça. Com os olhos fechados, ele usa fones de ouvido e sorri.
Compartilhe:

Para as cerca de 285 milhões de pessoas no mundo com deficiência visual, um vídeo pornô pode parecer apenas um monte de respirações pesadas, gemidos e outros sons. Pois em busca deste mercado, o site Pornhub está lançando uma categoria de “vídeos descritos”, na qual atores profissionais contam (em inglês) tudo o que está acontecendo na tela.

Segundo o jornal The Guardian, a seção por enquanto traz os 50 vídeos mais populares do site, com uma narração descrevendo o cenários, os atores, as roupas e as posições, somado ao áudio original do vídeo. Muitos dos vídeos já contam com mais de 20 mil exibições, e há conteúdo para todos os gostos: héteros, gays, pornô para mulheres, bi e transexuais.

A iniciativa foi lançada pela divisão filantrópica do site, o Pornhub Cares, que já patrocinou uma linha de roupas contra violência doméstica e uma campanha de conscientização quanto ao câncer de mama chamada “Save the Boobs” (salve os peitos, em tradução livre), na qual o site doaria um centavo de dólar para cada 30 exibições em vídeos nas categorias “big tit” e “small tits” (tetas grandes e tetas pequenas).

“Nosso objetivo é satisfazer todas as necessidades dos nossos usuários, o que começa tornando nosso conteúdo acessível a qualquer indivíduo”, disse o vice-presidente do Pornhub, Corey Price, ao jornal. “Escolhemos alguns vídeos que eram mais adequados para receber narração e poderiam ser descritos em detalhe. Queríamos conseguir descrever tudo que fosse possível para proporcionar ao usuário a melhor experiência possível, sem tirar o áudio original dos filmes”, completa. Ele acrescenta que o site quer encorajar seus usuários a produzir e enviar mais vídeos áudio descritíveis, com os diferentes tipos de público em mente.

“Pessoas cegas têm tanto direito de acesso a pornografia quanto têm a um Shakespeare clássico ou qualquer outro tipo de vídeo”, afirma Joel Snyder, diretor do projeto de audiodescrição no American Council of the Blind (Conselho Americano dos Cegos). Ele reconhece os esforços do Pornhub de tornar seu conteúdo mais acessível, mas sugere que a ação não é totalmente altruísta. “Existem mais de 21 milhões de pessoas cegas ou com baixa visão nos Estados Unidos. A comunidade é grande e tem poder de compra, então isso me cheira a algo que simplesmente faz muito sentido economicamente”, descreve.

Lançado em 2007, o Pornhub diz ter 60 milhões de visualizações por dia em seu conteúdo profissional e amador. O site, no entanto, não foi a primeira organização a tornar a pornografia acessível às pessoas com deficiência visual. Em 2006, um site chamado Pornfortheblind.org recrutou voluntários para gravar descrições de vídeos adultos populares, que eram carregadas como arquivos MP3. O site se tornou um hit cult, atraindo até 150 mil visitantes por mês. Já no mundo offline, uma artista chamada Lisa Murphy criou um livro de fotografias táteis de nudez em páginas de plástico brancas, juntamente com uma descrição em braille.

Fonte: The Guardian