Tocha Paralímpica passa por 6 cidades e será acesa com mensagens virtuais

Revezamento também terá formado diferente, até a união das chamas no Rio no dia 6, véspera do início dos Jogos Paralímpicos

Foto da tocha em primeiro plano, com parte do logo Rio2016 ao fundo. A tocha é branca e recortada em seções horizontais e onduladas.
Compartilhe:

Criada sob o mesmo conceito de “Paixão e Transformação” que a tocha Olímpica, mas com desenho e características próprias, a tocha Paralímpica Rio 2016 também terá um formato peculiar de revezamento. Entre quinta (1o) e segunda (5), ela será acesa nas cidades de Brasília (DF), Belém (PA), Natal (RN), São Paulo (SP) e Joinville (SC), que representam as cinco regiões do país.

Na sexta (6), o revezamento chega ao Rio de Janeiro e as cinco chamas regionais, mais a que será acesa em Stoke Mandeville (cidade inglesa onde nasceu o movimento Paralímpico) no dia 2, se unirão no Museu da Amanhã, no centro da cidade, para formar o fogo que iluminará o Maracanã na cerimônia de abertura dos Jogos. Durante o evento, ela ficará acesa na Candelária, também no centro.

Cada chama representará um valor dos Jogos Paralímpicos: Brasília – igualdade; Belém – determinação; Natal – inspiração; São Paulo – transformação, e Joinville – coragem. O valor para o Rio de Janeiro é paixão.

Outra inovação do revezamento da tocha Paralímpica é a possibilidade da participaração de internautas de todo o mundo através do Twitter. Basta o usuário postar uma mensagem em sua conta na rede social utilizando a hashtag #ChamaParalímpica e o valor da cidade associada para que ele passe a integrar o mapa de calor, gerado de acordo com o volume de postagens por região. As tochas de cada cidade serão acesas a partir da energia enviada pelas mensagens. O mapa estará disponível no site rio2016.com.

250 km e 745 condutores

Ao longo dos sete dias de revezamento, a tocha passará pelas mãos de 745 condutores, percorrendo a distância de 250km. O trajeto incluiu paradas em pontos icônicos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, além de locais significativos para o movimento Paralímpico em cada cidade. Confira abaixo os locais que serão visitados:

Brasília: Rede SARAH, ICEP Brasil (Instituto Educacional e Profissionalizante de Pessoas com Deficiência do Brasil), CEE Dev (Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais), CETEFE (Centro de Treinamento em Educação Física Especial). As cerimônias de acendimento e celebração serão no Parque da Cidade.

Belém: Pro Paz Sacramenta, Saber (Serviço de Atendimento em Reabilitação), CIIC (Centro Integrado de Inclusão e Cidadania), Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais), NEL Belém (Núcleo de Esporte e Lazer). O acendimento é na Pro Paz e a celebração, na Praça Frei Caetano Brandão.

Natal: IERC (Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte), SADEF/RN (Sociedade Amigos dos Deficientes Físicos), Apae, Suvag RN (Sistema Universal Verbotonal de Audição Guberina), CAIC (Centro de Atenção Integrada à Criança) Adote (Associação de Orientação aos Deficientes), Clínica Pedagógica Professor Heitor Carrilho. Acendimento e celebração no Palácio dos Esportes Djalma Maranhão.

São Paulo: CPB (Centro Paralímpico Brasileiro), onde será o acendimento, CEU Caminho do Mar, Avenida Paulista, EMEBS (Escolas Municipais de Educação Bilingue para Surdos) Helen Keller, Fundação Dorina Nowill para Cegos, Apae, AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente). A celebração será no Parque do Ibirapuera.

Joinville: Zoobotânico, Mirante, Bombeiros Voluntários, Apae, Felej (Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville), Ajidevi (Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais). As cerimônias são no Centreventos Cau Hansen.

Rio de Janeiro: Instituto Benjamin Constant, Cristo Redentor. A cerimônia de acendimento será no Museu do Amanhã.

Fonte: Esporte ao Minuto