Instituto Mauricio de Sousa e Fundação Dorina selam parceria

O evento para oficializar a união ocorre nesta quinta-feira, 19, e conta com a sessão de Cine Gibi Acessível com audiodescrição para cegos

Divulgação da Parceria IMS x FDN - Jan 2017
Compartilhe:

O Instituto Instituto Mauricio de Sousa e a Fundação Dorina Nowill para Cegos vão selar a parceria em um evento na próxima quinta-feira, 19h, às 11h. A união tem como objetivo o desenvolvimento de um projeto voltado para promover a inclusão de pessoas com deficiência visual, por meio de materiais educativos e produtos acessíveis, que terão a imagem da personagem Dorinha estampada. Parte da renda será revertida para manter o projeto.

Dorinha foi uma das primeiras personagens com deficiência a integrar a Turma da Mônica. Ela foi criada por Mauricio de Sousa, inspirada em Dorina Nowill, e foi apresentada ao público quando chegou às bancas, em novembro de 2004. Quase 13 anos se passaram e essa iniciativa promete ampliar a aparição da personagem, que representa os portadores de deficiência visual nas histórias em quadrinhos mais famosas do Brasil.

“Esta parceria é um grande ganho para todos! Vamos pensar em produtos diversos, para todos os públicos e que possa ampliar a presença de uma personagem que pode mudar a consciência e aumentar o conhecimento sobre a deficiência visual desde a infância”, afirma Ika Fleury, presidente do Conselho da Fundação Dorina Nowill.

Ainda no dia 19, às 9h30, haverá uma sessão especial de Cine Gibi 8 com audiodescrição, para crianças com e sem deficiência, na Fundação Dorina.  Na ocasião, a Turma da Mônica fará uma surpresa aos pequenos, e o evento contará com a presença do desenhista Mauricio de Sousa.

Cine Gibi Acessível

Além da personagem Dorinha e da admiração mútua entre Mauricio de Sousa e Dorina Nowill, a relação entre as marcas é ainda maior. A Fundação Dorina – por meio de sua empresa de produtos e serviços de acessibilidade, a DNA Editora e Soluções em Acessibilidade – é responsável pela audiodescrição nos episódios dos filmes do Cine Gibi, produzidos pela Mauricio de Sousa Produções.

“A audiodescrição é um recurso muito importante para que as pessoas com deficiência visual tenham acesso às imagens contidas em filmes, livros, revistas e ambientes”, explica Ika Fleury. “O Cine Gibi acaba sendo uma forma bem interessante de as crianças poderem aproveitar as historinhas com inclusão e acessibilidade”.

Cine Gibi Acessível
Quando:
 quinta-feira, 19/1, a partir das 9h30
Onde: Auditório da Fundação Dorina Nowill
Endereço: Rua Diogo de Faria, 558, Vila Clementino, São Paulo – SP

Fonte: Assessoria