CAIXA Cultural SP apresenta “por+vir” com a Companhia de Danças de Diadema

Além do espetáculo de danças, que conta com audiodescrição para cegos em uma das sessões, também haverá workshop com os bailarinos da Cia. de Danças de Diadema

Em fundo roxo, há o ícone que representa o teatro, com as máscaras do drama e da comédia
Compartilhe:

A CAIXA Cultural São Paulo apresenta o espetáculo “por+vir” com a Companhia de Danças de Diadema, de 30/3 a 2/4,às 19h15, com entrada franca. A sessão dia 31 contará com audiodescrição para pessoas com deficiência visual.

A montagem reúne nove renomados coreógrafos que já passaram pelas produções do grupo, promovendo o reencontro desses artistas com esta criação conjunta.

Os bailarinos da companhia também ministram workshop grátis nos dias 31 de março e 1º de abril (sexta e sábado, das 15h às 17h). Inscrições abertas.

Criado em 2015, para comemorar os 20 anos de atividades da Companhia, o espetáculo traz coreografias assinadas por Ana Bottosso (também diretora geral do espetáculo e da Companhia), Cláudia Palma, Fernando Machado, Henrique Rodovalho, Luís Arrieta, Mário Nascimento, Pedro Costa, Sandro Borelli e Sérgio Rocha.

O enredo parte da experiência de reviver o antigo junto com o atual, parte da pluralidade do movimento. Estes são fatores que potencializam a experimentação a partir das vivências com coreógrafos ímpares, sendo cada um colaborador com sua ótica sobre a dança contemporânea.

As coreografias que formam “por+vir” são: Nós de Nós (Cláudia Palma), Bakú (Ana Bottosso), Caminhos Traçados (Pedro Costa e elenco), Entre Pontos, (Fernando Machado), Gárgulas (Sandro Borelli), Esse Samba é Meu (Sérgio Rocha), Entremeios (Mário Nascimento), 1 + Um (Henrique Rodovalho) e Novena (Luís Arrieta).

Segundo Ana Bottosso, as coreografias conversam com a história do grupo e apresentam os muitos caminhos possíveis, diferentemente traçados, às vezes desimpedidos ou emaranhados por obstáculos. Sem saber ao certo como, desperta-se o desafio de transpassá-los e, em meio ao movimento das emoções, o artista traça, como uma novena, a busca pelos seus sonhos e o caminho para espantar os pesadelos. Enfim, um mais um e mais um e mais um, somam “Nós”.

Com este projeto, a Companhia de Danças de Diadema reafirma sua versatilidade e expressa sua maneira de olhar a dança por meio dos corpos de seus intérpretes, sob os diferentes estilos dos coreógrafos convidados, proporcionando ao público um múltiplo panorama gestual e sensorial.

O espetáculo “por+vir” não é só mais uma obra, é uma homenagem aos grandes nomes que passaram pela Companhia: “uma festa em forma de movimento, onde cada coreógrafo colabora numa criação para os corpos do elenco da Companhia e sua ampla história e dramaturgia. Não há um tema linear, mas uma linha de movimentos envolvendo a trajetória artística pessoal de cada criador e suas facetas”, comenta a diretora Ana Bottosso.

“Mergulhando num espírito de pluralidade corporal, sensitiva e, por que não, emotiva, a criação dessa obra marca, na linha do tempo da Companhia, um momento que, ao relembrar seus 20 anos passados, relembra também cada indivíduo, cada contribuição, cada obstáculo superado, cada cortina desvelada”. Finaliza Ana Bottosso.

Espetáculo/dança: “por+vir”
Com Companhia de Danças de Diadema
Quando: de 30/3 a 2/4, às 19h15
Onde: CAIXA Cultural São Paulo – Teatro
Endereço: 
Praça da Sé, 111 – Sé/SP
Tel: (11) 3321-4400
Ingressos: grátis – retirar a partir das 9h do dia do espetáculo (1 par por pessoa)
Obs.: Sessão com audiodescrição: 31/3 (sexta-feira)

Workshop: Dança Contemporânea em Estudos de Múltiplos Estilos
Com Companhia de Danças de Diadema
Quando: 31/3 e 1/4, das 15h às 17h
Obs.: Grátis. Inscrições: contato@ciadedancas.apbd.org.br (enviar nome completo, numero de RG e CPF, email, telefone, carta de interesse e breve currículo)
Vagas: 25. Público alvo: maiores de 14 anos com alguma experiência em dança.
Descrição:O workshop trata da diversidade de estilos presentes no espetáculo “por+vir”, sob um olhar prismático dos bailarinos da Companhia de Danças de Diadema, e da multiplicidade de possibilidades inerentes à dança contemporânea.