Curta-metragem mostra a trajetória da medalhista cega Terezinha Guilhermina

O filme sobre a atleta brasileira campeã nos Jogos Paralímpicos de Londres será exibido no dia 24/9, quinta, às 21h, no SescTV

Foto em close da atleta Terezinha Guilhermina e seu técnico, Guilherme, em uma pista de atletismo. Ela tem os olhos vendados, e alonga os braços na direção da câmera. Ele está atrás dela, auxiliando com seus braços.
Compartilhe:

A velocista cega Terezinha Guilhermina conquistou, ao lado de seu guia, Guilherme Santana, duas medalhas de ouro nas provas de 100m e 200m rasos, nos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012. A união dos dois esportistas que marcaram a história do atletismo brasileiro é narrada no documentário A Valsa do Pódio (25’, 2013), dirigido por Bruno Carneiro e Daniel Hanai. A produção estreia no dia 24/8, às 21h, no SescTV, e faz parte da série Diferente Como Todo Mundo, de curadoria de Zita Carvalhosa, que aborda pessoas com deficiência físicas e mentais.

Nascida no município de Betim, interior de Minas Gerais, Terezinha descobriu, ainda criança, que tinha retinose pigmentar – doença hereditária que causa a degeneração da retina e ocasiona a perda gradual da visão. “Mesmo que tenha sido uma notícia drástica, para mim foi um bálsamo, porque eu tive que me preparar para sobreviver e aprender a ser feliz sem enxergar”, conta a atleta sobre a doença que acomete também mais quatro irmãos.

O título do filme faz uma referência à dança realizada pela atleta, junto ao seu guia Guilherme, no pódio dos Jogos Paralímpicos de Londres. “Nós dois somos um, eu com venda e ele sem, mas a gente se completa na pista e forma um time”, comenta Terezinha. Eles falam sobre suas vitórias e trajetórias de vida e revelam a sintonia e o entrosamento que lhes deram fôlego para superar as adversidades e conseguir as medalhas.

Sobre Diferente Como Todo Mundo:
É uma série inédita na televisão, que retrata personagens com deficiências físicas e mentais, sendo protagonistas de suas próprias histórias. Os filmes apresentados participaram, em épocas distintas, do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – fundado por Zita Carvalhosa, em 1989, com correalização do Sesc desde 1996. O recorte é exibido com exclusividade pelo canal e conta com 20 produções brasileiras. A série surgiu a partir de programa de mesmo nome, que integrou a 27ª edição do festival, em 2016, em parceria com o Festival Internacional do Filme, em Cannes, na França.

Fonte: Assessoria