Saiba mais sobre a acessibilidade no e-book

A editora Rocco publicou um artigo sobre a acessibilidade no e-book para pessoas com deficiência visual, dislexia, entre outros

Foto de uma pilha com um leitor digital e um livro com um óculos de leitura fechado em cima
Compartilhe:

Confira o artigo publicado no site da editora Rocco sobre acessibilidade de e-books.

Por Mariana Mello e Souza

Em 2011, quando me perguntaram se eu conhecia um formato novo de livro chamado e-book, não podia imaginar a mudança que estava prestes a acontecer. Uma conversa se tornou uma oportunidade de estágio fazendo produção de livros digitais e me apaixonei com as várias possibilidades e desafios deste novo formato (e nunca mais olhei para trás).

Hoje em dia muitos já conhecem o e-book ou pelo menos já ouviram falar. Também sabem de algumas vantagens do livro digital, como o fato de ser possível levar uma biblioteca inteira dentro do bolso ou de comprar o livro do conforto de casa e começar a ler imediatamente sem sair do sofá. O que talvez não seja tão conhecido são as possibilidades de acessibilidade que este formato permite.

Pessoas com deficiência visual (seja baixa visão ou cegueira), dislexia ou com alguma condição motora que dificulte o manuseio tradicional do livro físico podem, através do e-book, alcançar uma independência literária que antes não tinham. O formato possui várias ferramentas nativas que permitem que o texto seja adaptado para tornar a leitura mais confortável de acordo com a necessidade do leitor, como por exemplo: ampliar o tamanho da fonte, mudar a tipografia, alterar o contraste com o fundo de tela e a leitura em voz alta.

Os itens abaixo são relativos a e-books no formato EPUB fluido, ou seja, o número de páginas do livro e a quantidade de palavras por página podem variar de acordo com o tamanho da fonte. Arquivos PDF ou EPUB layout fixo (com número de páginas e diagramação que não se modificam) possuem acessibilidade limitada.

Ampliar o tamanho da fonte

Essa funcionalidade é prática para quem tem vista cansada, problemas de baixa visão ou simplesmente acha mais confortável a leitura com uma fonte um pouco maior. Todos os aparelhos possuem essa funcionalidade, sejam eles e-readers (aparelho de leitura dedicada tipo Kindle, Kobo e Lev), smartphones, tablets ou computador.

Alterar a tipografia

É possível escolher dentre uma série de fontes padrão oferecidas pelos aparelhos de leitura (e-readers ou apps) ou usar a fonte original da editora (caso esteja disponível). Isso permite personalizar o livro com uma tipografia que seja mais confortável para cada leitor.

Alterar contraste com o fundo de tela

O fundo de tela e o contraste com a fonte podem ser alterados. A maioria dos aparelhos possui pelo menos duas opções: tela branca com letra preta e modo noturno com tela preta e letras brancas. Alguns incluem entre as opções padrão o modo sépia e/ou permitem regular o brilho da tela.

Leitura em voz alta (ou Voiceover)

Esta função está disponível somente nos aplicativos de leitura para smartphone, tablet e PC. O texto do e-book é lido por uma voz sintética que varia de acordo com o aparelho utilizado (alguns permitem escolher dentre uma seleção de vozes, além de regular a velocidade da leitura). As imagens do livro também podem ser preparadas para serem lidas nesta função quando a configuração adequada na tag “ALT TEXT” é feita. Como e-readers não costumam possuir caixas de som, não têm esta funcionalidade.

Voiceover x Audiolivro

As principais diferenças entre o voiceover e o audiolivro são: o tipo de narração (voz sintética X voz humana) e o tipo de arquivo (EPUB ou arquivo de texto compatível com leitura automática X arquivo de áudio como MP3). Ambos os formatos atendem às necessidades de acessibilidade e o audiolivro está aos poucos crescendo no mercado brasileiro e internacional, principalmente nos modelos de download e streaming.

Existem outras tecnologias de acessibilidade como o formato DAISY (áudio sintético sem texto) e Braille Digital (que utiliza um aparelho que traduz o que está na tela do computador em linhas de braille, que mudam automaticamente com um toque de botão). Embora não sejam tão facilmente encontradas para comercialização geral, organizações especializadas como a Fundação Dorina Nowill para Cegos podem dar mais explicações sobre demais formatos acessíveis.

E você, caro leitor? Conhece alguém que adora ler, mas que possui alguma dificuldade com o formato impresso? Apresentem o e-book e o audiolivro!

*Significado dos termos citados no texto:

EPUB: electronic publication (publicação eletrônica) – formato de arquivo digital específico para livros digitais, criado pelo IDPF (International Digital Publishing Forum – Fórum Internacional de Publicação Digital).

DAISY: digital accessible information system – formato digital acessível, que permite a produção de livros digitais falados (áudio gravado ou sintetizado).

PDF: portable document format (formato de documento portátil) – formato utilizado para impressão fiel de documentos.

Fonte / Tipografia: formato da letra.

ALT TEXT: texto alternativo.

Mariana Mello e Souza é coordenadora de livros digitais da Rocco, leitora voraz, amante de Harry Potter, Tolkien, heróis da Marvel e da DC, contos de fadas e romances com final feliz.

Fonte: Rocco 

  • Cristina Stoll

    Muito bom, Mariana! Só achei o uso da palavra “voiceover” em inglês confuso. Voiceover é a voz que um autor faz para uma personagem fictícia num filme, por exemplo, um desenho. VoiceOver é um leitor de pela Apple. Então, no artigo, acho que é melhor usar TTS (text-to-speech) ou sintetizador de voz.