Moda Inclusiva estimula produção para pessoas com deficiência

Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência reuniu cerca de 20 profissionais para apresentar ideias de peças adaptadas

Foto de uma jovem modelo cadeirante posando em uma galpão antigo, com um vestido. Ela olha na direção direita com semblante contemplativo
Compartilhe:

Para mostrar a funcionalidade das roupas para pessoas com deficiência e sua importância comercial, a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência reuniu cerca de 20 profissionais ligados à área de comunicação e parceiros do projeto Moda Inclusiva para apresentar ideias de peças adaptadas e a funcionalidade das roupas.

O encontro foi conduzido pela coordenadora do Programa, Daniela Auler, que destacou que “a moda valoriza a diversidade humana, não segregando a pessoa com deficiência”. Na ocasião, foram apresentadas peças que já foram vencedoras do Concurso Moda Inclusiva, realizado anualmente pela Secretaria.

Modelos como camisas estampadas para pessoas com deficiência visual, com alto relevo em seus detalhes; e uma camisa com zíper lateral nas mangas, para facilitar a abertura e para que a pessoa com deficiência física tenha total facilidade em vesti-la ou tirá-la, foram algumas das peças mostradas.

Especialista em Economia e Mercado de Capitais pela Fundação Getúlio Vargas, Paulo Salerno realiza pesquisas sobre tecnologias assistivas na área têxtil e explicou como comercializar vestuário com adaptações. “Para transformar um protótipo em produto, às vezes, é necessário desconstruir e refazer a peça para que ela não seja apenas acessível, mas confortável e rentável”, disse Salerno.

Para a presidente da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda – Abepem, Kathia Castilho, a “essência da moda é valorizar o ser humano e que, desta forma, a moda inclusiva pode ser considerada, de fato, para todos”.

Já para Marcela Pagano, publicitária e idealizadora da Inclusive, revista digital voltada à valorização de direitos com ênfase nas pessoas com deficiência, destacou a importância de aumentar o mercado dos produtos voltados às pessoas com deficiência: “As roupas adaptadas devem estar ao alcance do público que frequenta grandes lojas”, analisou Marcela.

Fonte: Portal do Governo do Estado de São Paulo