Movimento Web para Todos lança campanha para promover acessibilidade digital

Vídeo-manifesto narra as dificuldades de acesso de pessoas com deficiência à internet e convida a sociedade a acelerar o processo de inclusão digital

Foto de uma mulher sentada em um sofá mexendo em um tablet. Ao seu lado, está um cachorro.
Compartilhe:

Acessibilidade no mundo digital é lei, é urgente e é benéfica para todos. Com sites e aplicativos mais simples e fáceis de navegar, que carregam mais rápido em qualquer dispositivo, a comunicação passa a ser muito mais eficaz para qualquer perfil de usuário e consumidor, inclusive para aqueles com algum tipo de deficiência. Com esse propósito o Movimento Web para Todos, em parceria com a Publicis, acaba de lançar um vídeo-manifesto que tem como objetivo sensibilizar a sociedade para acelerar o processo de inclusão digital.

O filme faz parte de uma campanha que será composta por várias etapas. Os primeiros materiais fazem uma apresentação geral do problema. As próximas peças serão educativas por meio de dicas de como tornar sites e aplicativos acessíveis. Nesta primeira fase, a campanha contou com a participação de alguns embaixadores do Movimento Web para Todos: Alexandre Ohkawa, Diniz Candido, Maria Margarida de Castro, Nathalia Blagevitch e Gustavo Torniero.

Criado há dois anos, o Movimento Web para Todos fala sobre acessibilidade digital para os mais diversos tipos de público em palestras, debates e treinamentos. “Nosso intuito é promover a cultura de acessibilidade digital em todo o Brasil. Essa campanha certamente fará com que muito mais gente conheça o assunto e a transformação da web aconteça mais rápido”, afirma Simone Freire, idealizadora do WPT.

As primeiras peças da campanha

A primeira etapa conta com dois filmes. O primeiro deles resume, em um minuto, o impacto da falta de acessibilidade digital na vida das pessoas com deficiência.

A segunda peça usa o bom humor para relatar as dificuldades que o público com deficiência enfrenta ao tentar se conectar com o mundo por meio da web. A proposta é reforçar como tarefas simples para a maioria das pessoas podem ser muito complicadas para quem tem algum tipo de deficiência.

No webfilme, um rapaz cego tenta usar um aplicativo de relacionamento e faz comentários curiosos sobre os quais provavelmente as pessoas sem deficiência nem pensam: “Se você acha que encontro às cegas é estranho, é porque não sabe o que eu passo com esses apps”, diz o jovem antes de sugerir que os perfis tenham voz. O protagonista da peça é Gustavo Torniero, jornalista, secretário de juventude da Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB) e embaixador do Movimento Web para Todos.

“Muitos não sabem que há diversas barreiras de acesso em sites e aplicativos, e que elas são fáceis de serem eliminadas. Com essa campanha, esperamos chamar a atenção da sociedade para o problema e contar com o engajamento de todos para corrigi-lo o mais rápido possível. E, assim, tornar a web brasileira num ambiente realmente justo e inclusivo”, comenta Simone.

Para Eduardo Lorenzi, CEO da Publicis, abraçar a causa do Movimento é muito natural. “O Brasil tem 45 milhões de pessoas, ou um quarto da população, com alguma deficiência que dificulta o seu acesso à web. Como empresa de comunicação, que leva mensagens e iniciativas das marcas a todo o povo brasileiro, nós precisávamos contribuir para mudar esse cenário”, comenta. “Enxergamos a inclusão e a inovação como os únicos caminhos possíveis para a indústria da comunicação, e o Web para Todos une esses dois lados”, acrescenta Domênico Massareto, CCO da agência.

Assista aos vídeos nas versões regular e com acessibilidade no canal do YouTube do Movimento Web para Todos. 

Fonte: Movimento Web para Todos