Andar e se movimentar

Vou compartilhar algumas situações para esclarecer alguns pontos quando o assunto é andar e se movimentar.

Compartilhe:

Nem tudo que parece ser realmente é. Por isso, muito cuidado antes de qualquer tipo de julgamento. Há pessoas que olham para um cadeirante e logo pensam que a perna não se mexe. Essa percepção acontece muitas vezes por falta de conhecimento ou de convívio com pessoas com deficiência. Vou compartilhar algumas situações para esclarecer alguns pontos quando o assunto é andar e se movimentar.

No meu caso, sou lesado medular. Não mexo voluntariamente as pernas – não tenho controle nenhum sobre elas, mas tenho ‘’espasmos’’, que são movimentos involuntários. As pernas mexem sozinhas, são contrações involuntárias. Existem alguns motivos que provocam esses movimentos. Vou falar alguns deles.

Um simples incômodo de estar com a perna muito tempo na mesma posição pode ser suficiente para fazer com que as pernas se mexam. Estar com a bexiga cheia também pode provocar esses movimentos involuntários, tendo necessidade de fazer procedimento de sonda pra fazer xixi. O espasmo pode ser provocado também por algo que esteja machucando – se a pessoa estiver em cima de uma agulha, ela pode não sentir a dor, por causa da lesão medular ou neurológica não ter sensibilidade, porém, as pernas estão vivas: elas se defendem causando o movimento involuntário. E também existem lesados medulares que não têm espasmos.

Importante dizer que espasmo não significa que a pessoa vai voltar andar. Assim que sofri o acidente, as pessoas observavam os movimentos da minha perna e logo diziam: ‘’ta mexendo, ah vai voltar andar’’. Naquela época eram só contrações. Continuam sendo só contrações, movimentos involuntários das pernas. Simples assim.

Diversas causas fazem uma pessoa precisar de uma cadeira de rodas para se locomover. Exemplo: ela tem algum controle sobre a perna, mas não tem força para conseguir caminhar sozinha. Isso acontece com algumas pessoas que têm algum tipo de doença progressiva (a pessoa perde os movimentos ao longo do tempo), sendo necessário usar a cadeira. Há pessoas que utilizam andador para se locomover: por fazer muita força para se movimentar, a pessoa acaba cansando em algum momento, precisando usar cadeira de rodas para cansar menos.

Há deficiências que não tiram toda a capacidade de movimentar as pernas, mas limitam a força e o controle, fazendo que a pessoa utilize o equipamento de locomoção, como quem tem sequela de poliomielite. Lembrando que alguns idosos e pessoas obesas podem ter dificuldade de andar também. .

Outro ponto importante: fique atento em eventos. Sabe as áreas reservadas para cadeirantes? Pode acontecer a seguinte situação: se tiver alguém em pé na frente de uma cadeira de rodas, pode ser que a pessoa consiga ficar em pé, até dar poucos passos, mas não andar firme longas distâncias. Por isso, se desconfiar que isso seja uma enganação, pergunte, observe se essa pessoa tem alguma dificuldade na hora de se movimentar. Se comprovar que é uma pessoa querendo tirar vantagem, denuncie, chame a polícia ou os seguranças do local.

Lembre-se: a cadeira de rodas é para quem tem dificuldades de locomoção ou não consegue andar, mas as pernas podem ter algum movimento.