Sua atuação

Compartilhe:

O mundo está cheio de histórias emocionantes. Relatos de vida que se tornam livros, tragédias, dramas, romances. Biografias que contam sucessos ou fracassos e em que cada um de nós, sem perceber, temos participação.

Suas atitudes, suas crenças e posturas, assim como as minhas, vão afetar outras vidas, e os efeitos do que você faz somam como pontos. Indivíduo a indivíduo, nos tornamos sociedade. O que damos, a nós retorna, simples assim.

Seu filho frequenta uma escola, como toda criança, até que, em um belo dia, chega nesta escola uma pessoa com deficiência. Você ouve um comentário aqui, outro ali e, na reunião de pais, todos estão preocupados se a presença de alguém "com dificuldade" irá "atrapalhar" o andamento das aulas… Você se posiciona e pronto: sua atitude estará marcando outra vida, estará pesando em um contexto amplo como a escola e estará ajudando a direcionar uma postura coletiva que afeta todo mundo de uma forma ou de outra.

Você critica e sua crítica se soma a outras, ou, mesmo que ecoe sozinha, ela vai ficar marcada e fará diferença. Você elogia e seu elogio vira um tijolo no mundo interno de alguém, marcando um dia ou marcando uma vida.

Estamos o tempo todo fazendo essas escolhas, sendo omissos ou participativos e, na nossa liberdade de ser, somos tudo, menos solitários. Na cidade ou no campo, na floresta ou no condomínio, a gente precisa de gente.

Pessoas felizes afetam de forma positiva; pessoas educadas, ainda mais; gentileza, nem se fala; e carinho tem poder. O azedume estraga o clima, o desrespeito traz angústia, a atitude egoísta é facilmente corrompível, e o preconceito… ah! O preconceito corrói as bases como um cupim e, em cima do preconceito, nada cresce, nada prospera. Nem relações, nem negócios, nem lucro, nem nada… O preconceito é o gerador de vazios e afeta as vidas de forma irremediável.

Eu não sei qual postura você adota em sua vida para afetar as vidas daqueles que convivem com você. Sei que os finais felizes estão por toda parte e só são possíveis porque alguém resolveu se importar fazendo algo às vezes quase insignificante, mas forte o suficiente para transformar essas histórias.

Espero que, ao pensar as questões sociais, você considere que, neste grande livro que é a vida, nossas histórias estão sendo escritas juntas, e que o final, feliz ou dramático, depende muito mais do que fazemos enquanto indivíduos, personagens que somos neste coletivo comum.

Toque as vidas com suas crenças positivas e ajude a construir a mais inspiradora das histórias. Ela provavelmente será a sua própria biografia.